ferreiragoulart

Ferreira Gullar lê seu poema”‘Acidente na sala”, que nasceu de um espanto

Acidente na sala

Ferreira Gullar

Movo a perna esquerda de mau jeito

E a cabeça do fêmur atrita com o osso da bacia

Sofro um tranco

E me ouço perguntar

Aconteceu comigo ou com o meu osso?

E outra pergunta

Eu sou o meu osso?

Ou sou somente a mente que a ele não se junta

E outra, se osso não pergunta, quem pergunta?

Alguém que não é osso, nem carne, que em mim habita

Alguém que nunca ouço

A não ser quando no meu corpo um osso com outro osso atrita ?

Comentários