tillman 4

20120802 por Tillman Lange

 

Eu não trabalho mais com cálculos, nem tenho mais interesse nas  representações dos  dados e seus significados

 

 

Vi algo no passado ou  foi uma historia que alguém e contou. Esses fragmentos do passado se transformaram em formas na minha
mente. Os números ainda existem dentro de mim e as estruturas aparecem como um flash.

Eu no  papel.

Não é importante decodificar essa informação original:  o conhecimento absoluto é impossível.

 

Os fragmentos  vistos não tem nenhuma relação com a informação.

Número é imagem e as páginas de um livro de matemática são desenhos.

 

 

O livro de matemática foi deslocado: quero construir uma situação similar a quando ouço uma musica, sem entender a composição. Você olha um desenho e espero que exista algo que  você possa sentir, sem a informação.

O resultado final da equação musical é maior do que seus números, é sua melodia.


Eu gosto de não saber o significado da melodia.

 

Eu gosto de não saber.

Códigos  sem gabarito. Talvez há alguém que possa ver a estrutura das sequencias. É interessante ver uma informação codificada e se perguntar: é sobre o que?


Eu quero congelar nesse ponto. Existe a pergunta, mas não há resposta. O mistério é mágica por si só. Sem resposta.

 

tradução : Jessica Cooke

Tillmann Lange nasceu em Cottbus, Alemanha em 1981, ele iniciou seus estudos na Universidade Técnica de Dresden, Alemanha em 2011 em Ciência da Computação. Durante esse período ele iniciou um estudo
paralelo em pintura na Academia de Artes Dresden. Em 2005 ele se mudou para Berlin, onde ainda mora e trabalha como designer gráfico e estuda pintura no Berlin Weissensee Universidade de Artes. Ele teve seu trabalho publicado na revista ‘Prolog 7’ em Berlin em 2011. Suas exposições solos foram ‘Linienkompott’ na Galeria  Zwischenraum, em Berlin 2012 e ‘Aktstudien und freie Blätter’, na Galeria Ostart, em Berlin 2010.

www.tillmann-lange.de

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários