quadrado

Arte e geometria por Tuneu

 

 

 

“O quadrado tem uma longa tradição na Historia da Arte, figurando como protagonista nos episódios de confronto entre a arte moderna e a tradição narrativa em pintura. Ele foi o heroi do suprematismo de Kazimir Malévich,  tornou-se a obsessão de Piet Mondrian e o principio fundador da arte de Sol LeWitt.

Tuneu retoma o quadrado como tema de reflexão e se instala em meio ao seu poderoso silêncio.

 Nos quadros de Tuneu o quadrado aparece  como principio construtor do mundo.

Diante de seus quadros vemos cessar o discurso,  esquecemos a realidade e saltamos para fora do tempo.”

.

Texto: Claudia Valladão de Matos, exposição Puro Espaço , junho de 2008

.

 Tuneu (Antonio Carlos Rodrigues) é pintor e desenhista. Estudou com Tarsila do Amaral entre 1960 e 1966 e recebeu influência de Wesley Duke Lee. Foi assistente de Willys de Castro e Hércules Barsotti durante vários anos. Em 1966 realizou sua primeira mostra individual no João Sebastião Bar, em São Paulo.Entre as exposições de que participou, destacam-se: Salão de Arte Contemporânea de Campinas (várias edições entre 1966 e 1974, Prêmio Viagem à Europa, 1970, e Prêmio Aquisição, 1974); 16º e 17º Salão Paulista de Arte Moderna (São Paulo, 1967 e 1968); Bienal Internacional de São Paulo (várias edições entre 1967 e 1975, Prêmio Aquisição Itamaraty, 1971 e 1975); Panorama da Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (várias edições entre 1971 e 1989); 3º e 6º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Museu de Arte de São Paulo (1971 e 1975); Arte na Rua 2 (São Paulo, 1984); Off Bienal, no Museu Brasileiro de Escultura (São Paulo, 1996). Apresentou uma exposição individual na Galeria Raquel Arnaud, em 2008, e em 2010 na Casa de Cultura de Paraty (Rio de Janeiro).
www.tuneu.com.br

Comentários