04

O TERCEIRO ATO por Elza Tamas

 

O que me afeta é o que me pega de surpresa. E as surpresas só podem ser de duas ordens: boas ou ruins. Neutralidades não são do universo da surpresa, porque são a própria antítese do espanto e não determinam nada em ninguém.  Surpresas boas são aquelas que me potencializam, chamam a  vida em mim. São como um peteleco na agulha, que afinal consegue mover-se  num disco riscado, e assim liberta a música que é linda e  nos relaxa, embora  saibamos   que a qualquer momento, ele pode  travar novamente. São assim os discos riscados, não?                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               Como Como quando imaginei que poderíamos derreter algumas geleiras dos seus invernos chupando juntos, um picolé de tangerina. Os semelhantes curam-se pelos semelhantes, um princípio homeopático. E quase conseguimos, quer dizer conseguimos um pouco, o tanto que sua própria surpresa permitiu, mas a música parou de novo, bem no melhor pedaço e logo você me mostrou uma enorme cortina fechada ao nosso lado, grossa, pesada.  Detrás dela saltavam ruídos assombrosos, talvez peixes gritando ou uivos- lamentos de florestas, vagando sem saber onde se depositar. Eu quis abri-la, você me disse que não. Eu quis espiar, você disse não.
Sou a favor das cortinas abertas; fechadas só temporariamente, quando exercem sua própria função de cortina, mas nunca ocupando o lugar de uma porta, ou de uma parede ou de um muro fronteira.  Eu ainda tentei, talvez esse som que você teme porque não reconhece, seja somente o vento passeando entre alguma de suas memórias. Você disse não.
Julia adora ir ao teatro. Chega, senta-se de costas para o palco com o rosto enfiado no colo da mãe e fica assim até a cortina abrir. Ela tem medo da cortina fechada.
Julia tem 3 anos e já sabe que cortinas fechadas podem conter surpresas e que surpresas podem ser boas ou ruins.

foto banner: William Klein

 

 

 

Elza Tamas idealizou e desenvolve este site.

 

 

foto: Mario Bock

Comentários