Fé Gal Oppido - lambe lambe Berlim

Fé – 22a. Edição

 

Fé parece com acreditar, mas é diferente. Posso acreditar que comer brócolis faz bem à saúde, mas isso não significa que eu tenha fé em brócolis, ou confie totalmente no fato de que vegetais sejam saudáveis. As informações nutricionais mudam muito e dependem da fonte. A fé por sua vez é um contato direto com a fonte e não permite espaço para dúvida. Fé e dúvida não coexistem, enquanto que confiar com dúvida pode, mas vira desconfiar.

Carolina Chagas garante que a fé é igual olho castanho: quem tem, tem. Regina Datti viveu epifanias e deslumbramentos nas catedrais da Europa. Flávia Cirne registrou do alto de um helicóptero as homenagenss à Yemanja, em Salvador. Mateus Soares de  Azevedo ensina que a fé salva, mas o conhecimento liberta. Jeff Anderson descobriu mudando para uma favela que a fé é a gasolina para o motor científico e lutas sociais, e fez muita coisa por lá. Glaucia Rodrigues  nos apresenta o encantamento do Festival de Musica Sagrada de Fez, no Marrocos.

Ainda nessa edição, Eureka!, meu texto sobre um momento épico de uma formiga, os ensinamentos de Pema Chodron que mostram que medo e esperança são faces de uma mesma moeda aprisionante ,e Francis Alyss que usa a arte e suas intervenções como instrumentos de mudança social. No México ele provou que a fé e a mobilização grupal, de fato, movem montanhas.

E você, no que acredita?

 

 foto banner: Gal Oppido – lambe lambe em Berlim

 

 

 

.

Comentários