RP-bogart-2

QUIZÁS, QUIZÁS, QUIZÁS por Elza Tamas

Pilar queria dançar, dançar diferente, junto, com orquestra; ligou pra ele na redação do jornal, mas dança de salão pede sapato especial, solado de couro, ele disse, não dá, tô trabalhando de tênis, não vão me deixar entrar. Vai, por favor, e Acir não resistiu, sabia que ela devia estar mordiscando a boca quando pediu, sabia, e foi de tênis e tudo. Na hora de entrar pensou num pavão, estufou o peito um pouco, mas o moço da porta olhou para os pés, balançou a cabeça e disse não. Acir tentou: moço, se coloca no meu lugar, tem uma morena me esperando lá dentro, eu tenho que entrar. Então você vai ter que arrumar um sapato.

Acir não era de desistir e foi pro bar ao lado. Conversa vai, cerveja vem, contou a história pra um taxista de camisa verde. Que azar!, o homem disse, e Acir rápido: depende, que número o senhor calça?

Quando Pilar olhou para o outro lado do salão, viu Acir de pescoço esticado procurando por ela. Correu, se abraçaram, ela adorava aquele cheiro de graxa no pescoço dele, devia ser da tipografia. Ensaiaram uns pequenos passos desencontrados e ele sussurrou no ouvido dela: vamos embora que tem um motorista de taxi descalço lá fora.

Saíram, Acir pagou umas bebidas pro homem de camisa verde. Pilar pediu um HiFi e Acir continuou na cerveja. Pilar era estabanada e se ficava nervosa, pior. E Pilar estava nervosa; mexia os braços mais do que devia e virou o HiFi na mesa. Pediram outro e foi a mesma coisa. Disse baixinho pra ele: tô nervosa; ele riu, e deu uma lambida numa gota alaranjada perdida no rosto dela. O rádio adivinhava, quase me mata de tanto esperar; o garçom seguia empilhando cadeiras, já era tarde, tirando as toalhas, eles embriagados- porque era paixão de embriagar-, começaram a dançar, um beijo molhado de luz sela o nosso amor; vamos fechar, disse o garçom.

Lá fora, a lua era de prata e quando Acir chegou em casa, bêbado e apaixonado, agradeceu ao tênis de solado de borracha que, comportado, sem fazer um barulhinho sequer, evitou que sua mulher acordasse.

(conto originalmente publicado na coletânea Desnamorados – Editora Empíreo – 2014)

 foto banner: Elza Tamas sobre pôster de divulgação do filme TO HAVE AND HAVE NOT

 

Elza Tamas é psicóloga clínica e escritora.
Idealizou e desenvolve o forademim.com.br 

Comentários