origens hubble tripple galaxy1

UNIVERSOS por Rosa Doran

 

 


Como e quando surgiu o Universo que observamos? Haverá vida como a nossa em outros planetas? Haverá outros Universos onde a origem das espécies tem uma história completamente diferente? Como surgiu a nossa estrela, o Sol? E o planeta Terra? Qual será a constituição básica da matéria e qual será a forma do nosso Universo? Qual será a origem do tempo? Qual será a origem da nossa espécie? Porque nos interessamos pelas origens de tudo?

As questões que populam as nossas mentes serão certamente semelhantes às dos nossos antepassados, mas o nível do nosso conhecimento acerca do Universo que nos rodeia mudou muito. Não sabemos como tudo começou nem tampouco para onde se expandem as galáxias. Não sabemos qual o tamanho ou forma do nosso Universo, nem se ele é o único. Mas sabemos hoje que o nosso Universo, observável, surgiu à cerca de 13,7 mil milhões de anos (13 x 109 anos). Sabemos que nos instantes iniciais aquilo que hoje observamos era uma sopa de partículas elementares que pouco a pouco foram dando origem às estruturas que hoje observamos. Sabemos que no princípio só havia Hidrogénio, Hélio e um pouco de Lítio. Assim, as primeiras estrelas não tiveram planetas à sua volta, pelo menos não os rochosos, e não foram portanto testemunhas da possível origem da vida, em outras partes do Universo.

Sabemos que a vida na Terra terá surgido há cerca de 3,5 mil milhões de anos sob condições muito especiais, impossíveis de se repetir nos dias de hoje. Sabemos que os elementos da tabela periódica, para além destes, formam-se a partir do ciclo de vida das estrelas. Sabemos que as leis da física são as mesmas em todo o Universo e a origem do nosso saber vem da nossa fluência em dialogar com a natureza, a fluência matemática, a linguagem universal.

Mas há outras origens que também desafiam a inteligência humana. Qual será a origem da ignorância de uma espécie que se pergunta sobre as suas origens, mas pouco questiona sobre as origens do seu possível fim como espécie dominante no planeta? Qual será a origem da nossa despreocupação com o bem estar dos nossos semelhantes? Qual será a origem do consumismo desmensurado que degrada no nosso planeta ? São questões dificeis de responder embora os investigadores das ciências exatas e sociais ensaiem possíveis explicações.
O sonho de quem já percebeu a imensidão do nosso Universo e a infima fragilidade da pedra onde vivemos e a qual chamamos Terra, é pensar que muito em breve os seres humanos perceberão que somos todos iguais. Um sonho que constroi um mundo em que as diferenças ideológicas, religiosas, que nos unem e nos separam se tornam completamente irrelevantes.

Nosso planeta, cuja origem terá sido algures há milhares de milhões de anos, não tem as fronteiras entre países, visíveis a partir do espaço. Nosso planeta é um pedregulho no nosso Sistema Solar; 99% da massa está concentrada numa única estrela, o Sol, uma pequena estrela entre milhares de milhões de estrelas da nossa galáxia, a Via Láctea.
As galáxias são milhares de milhões num Universo onde a luz demora milhares de milhões de anos para transportar o conhecimento. Um Universo que sabemos não ser tudo, cuja origem desconhecemos e com um destino que nos intriga.

 

Rosa Doran 1961 brasileira/ portuguesa, residente em Portugal.
Física pela PUC/SP. Mestrado em Altas Energia em Gravitação pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Doutorando no Ensino das Ciências na Universidade de Coimbra( em curso).
Desde 1992 se dedica à investigação, divulgação científica e ensino nas áreas de Astronomia, Relatividade e Cosmologia. Membro fundadora do NUCLIO – Núcleo Interactivo de Astronomia (http://nuclio.org),
Membro da Comissão Instaladora do projecto Global Hands-on Universe (www.globalhou.net)
www.galileoteachers.org

 

 

 

 

 

Comentários